Nutrição Enteral e Oral (32) 32127735 Juiz de Fora

Televendas: (32) 3212-5992


Segunda à sexta de 8 à 12h. e de 13:15 até 18:00h.

31 de maio: Dia Mundial sem Tabaco

Indivíduos, organizações e autoridades de seis países da região das Américas – Antígua e Barbuda, Argentina, Colômbia, El Salvador, Estados Unidos e Uruguai – serão homenageados com o prêmio do Dia Mundial Sem Tabaco 2019. Essas honrarias, concedidas anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS), tem o intuito de reconhecer as contribuições para avançar na luta contra os efeitos prejudiciais do consumo de tabaco.
Os prêmios foram anunciados como parte dos preparativos para o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado hoje, 31 de maio, cujo tema deste ano é “Tabaco e saúde pulmonar”. Os vencedores desta edição abriram caminho para o avanço de políticas e medidas contidas na Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) da OMS na região das Américas.
O Dia Mundial Sem Tabaco – 31 de maio – foi criado em 1987 pela OMS para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.
Desde a instituição da data, a OMS articula, em todo o mundo, essa comemoração, definindo um tema correlato ao tabagismo a ser abordado pelos 193 Estados-Membros, com o objetivo de evidenciar as diferentes interfaces ou problemáticas do consumo de tabaco e, assim, engajar diversos atores sociais no controle do tabagismo.
Em 2019, a OMS defende o aumento da conscientização sobre:
• O impacto negativo que o uso do tabaco e a exposição ao fumo passivo exercem sobre a saúde pulmonar, do câncer de pulmão às doenças respiratórias crônicas como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (que inclui bronquite e efisema);
• O tabaco fumado, em qualquer uma de suas formas, é responsável por até 90% de todos os cânceres de pulmão;
• O papel fundamental que os pulmões desempenham na saúde e no bem-estar de todas as pessoas.

Fonte: ONU Brasil, Ministério da Saúde e Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA).

Ler artigo completo